Unidade 3 – Aula 1 – K, W, Y: Agora é oficial

tirinha

As letras K, W e Y agora fazem parte, oficialmente, do alfabeto da Língua Portuguesa. Mas já eram nossas velhas conhecidas pelos seus usos em palavras estrangeiras. Com a nova inclusão, veja como fica a ordem alfabética1 oficial:

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z

Só não vale exagerar! Nada de escrever "kilo", em vez de "quilo"!

Para usar corretamente as novas letras, veja as regras:

  • Em nomes próprios de pessoas (antropônimos) e de lugar (topônimos) originários de outras línguas e em seus derivados:

    Kafka – kafkiano.
    Byron – byroniano.

  • Em siglas, símbolos e unidades universais de medida:

    Kg (quilograma).
    K (potássio – na Química).

Fique ligado!

  • Os nomes próprios devem ser escritos da forma como foram registrados em cartório.

  • Os topônimos (nomes de países/cidades) em outras línguas, sempre que possível, devem ser escritos na forma correspondente do Português:

    New York – Nova Iorque.
    Zürich – Zurique.

  • Os nomes próprios e as palavras estrangeiras podem ser escritos usando-se sinais e combinações características da língua de origem:

    Shakespeare – Em inglês, é usada a combinação sh-, o que não acontece em Português.
    Comte – No Português, não usamos a sequência mt.

  • Em nomes bíblicos, podemos manter os finais ch, ph e th, eliminá-los ou inserir uma vogal.
    Se os finais forem pronunciados, é facultativo manter ou simplificar – Loth ou Lot.
    Se o dígrafo não for pronunciado, deve ocorrer a simplificação – Nazareth passa a Naza.
    Se já for usual, pode-se acrescentar uma vogal – Judith passa a Judite.

  • Em nomes bíblicos (próprios e topônimos), é facultativo terminar a palavra por b, c, d, g e t, independentemente da pronúncia – David ou Davi. Exceção: O nome Cid, em que sempre se pronuncia o d.

  1. Ordem alfabética: A ordem alfabética é um princípio organizador utilizado por dicionários, enciclopédias, catálogos, etc.