As principais características da língua falada e da língua escrita

A prática da língua desenvolve-se através de duas modalidades: a oral e a escrita. Podemos distinguir várias diferenças entre elas, apesar das semelhanças existentes nas duas modalidades. É muito comum, por exemplo, o uso de "amigo dele"/ "eu chamo você ou lhe chamo"/ "a gente vai à escola"/ "o amigo que a mãe ....."/ empregados na linguagem oral em vez de "seu amigo"/ "eu o chamo "/ "nós vamos à escola"/ "o amigo cuja mãe..., usados (respectivamente) na linguagem escrita.

Há que se considerar também as diferenças nas situações comunicativas em que as mensagens orais e escritas são processadas.

Durante a situação de produção oral, os interlocutores estão presentes fisicamente, o que significa uma interação efetiva entre emissor e receptor que podem se utilizar de recursos paralinguisticos como gestos, expressão facial / corporal, além da entonação, pausas, fluência, recursos típicos da linguagem oral. Há ainda a ocorrência de rupturas nos enunciados, frases inacabadas ou incompletas, repetições de palavras ou frases, marcas também típicas do oral.

A comunicação escrita é menos "econômica" e força o emissor a fazer referências mais precisas sobre a situação. A escrita requer do produtor do texto um trabalho de elaboração mais cuidadosa. Permite pensar, planejar selecionar para depois escrever. Permitindo ainda voltar atrás no que foi apresentado, corrigindo, acrescentado palavras, reorganizando-as, por isso a escrita é uma atividade mais demorada que a fala.

Deve-se levar em conta que a língua falada é geralmente ensinada, corrigida, verificada com base na escrita, o que vem negar suas características específicas.

O professor pode, então, planejar situação especiais para o desenvolvimento das atividades que envolvem a produção oral e escrita de textos.


Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro
Secretaria Municipal de Educação
Empresa Municipal de Multimeios Ltda. - MULTIRIO